Home Destaques / Notícias / Imprensa Banco Central terá que perseguir nova meta da inflação anunciada pelo Conselho Monetário Nacional

Banco Central terá que perseguir nova meta da inflação anunciada pelo Conselho Monetário Nacional

Banco Central terá que perseguir nova meta da inflação anunciada pelo Conselho Monetário Nacional

Desde 2005, o Conselho Monetário Nacional (CMN) não alterava a meta de inflação que permaneceu em 4,5% ao ano, índice que valerá até o ano que vem. Atualmente, a meta é considerada alta para os padrões internacionais, porém, será substituída por 4,25%, em 2019; e por 4%, em 2020, segundo o anúncio do CMN.

Essa redução traz a esperança de que os preços e os juros cobrados pelos bancos permaneçam mais estáveis em um futuro próximo, já que o governo terá que se ajustar para conseguir cumprir a nova meta.

Em contrapartida, caso a inflação não seja a esperada, o Banco Central pode ter que aumentar os juros. Se por um lado essa atitude ajuda a controlar a inflação, ela não é uma boa notícia para a economia de maneira geral.

Até o momento, há indícios de que a nova meta para a inflação possa ser alcançada. Segundo o ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, “as novas metas estão em linha com as expectativas do mercado para a inflação nos próximos anos.”

Fonte: http://bit.ly/Meta-Inflacao


Home
Voltar