Multas por violação à LGPD poderão ter efeito retroativo

2022 é prova de fogo para aplicação da LGPD

Segundo declaração do diretor-presidente da ANPD, Waldemar Gonçalves Ortunho Júnior, feita ao Jornal Valor Econômico na primeira semana de janeiro, o ano de 2022 deve ser a prova de fogo para a aplicação da Lei Geral de Proteção de Dados (LGPD), principalmente por ser um ano eleitoral.