Turnaround: Como superar uma recuperação judicial

Um vídeo-case de quem sobreviveu à recuperação judicial e mudou o curso da história

Enfrentar um pedido de recuperação judicial é um processo bastante doloroso para uma empresa. Junto com o fato de tornar pública a impossibilidade de arcar com suas dívidas financeiras, vem à tona o esgotamento de todas as possibilidades de sobrevivência saudável.

Neste vídeo, você vai conhecer o legado de quem mudou esse curso na história – o case de turnaround do Grupo Interteck-Katal, um dos mais tradicionais grupos de produção e distribuição de diagnóstico In Vitro do Brasil.

Saiba como o grupo alavancou a maturidade de governança e gestão e realizou o seu turnaround, retomando o mercado e o crescimento:

Fernando Moraes, diretor geral do Grupo Interteck-Katal, responsável pelo turnaround da empresa, o maior legado é o aprendizado. “Tudo o que a gente fez até agora vai servir de alicerce para a gente ir para frente”, conclui. Leia a opinião dele sobre o papel da Moore na trajetória do grupo.

Para Marcus Lindgren, sócio-diretor da Moore e líder da equipe de consultores que ajudou o Grupo Interteck-Katal a mudar o patamar do negócio, um processo de turnaround requer decisões muito profundas, duras e multidisciplinares, e o grande desafio é entender a real situação da empresa, para fazer as propostas certas e implementá-las.

A Moore trabalha com um método próprio, que ela batizou de Alavancagem da Maturidade de Governança e Gestão. Baseada no entendimento profundo dos ciclos de vida das empresas, a metodologia permite um diagnóstico profundo sobre o estágio de evolução em que a organização se encontra, independentemente do seu tempo de mercado ou tamanho.